Total de visualizações de página

terça-feira, 17 de julho de 2018

Histórias da Ditadura Militar

O homem que se recusou a matar 100 mil pessoas
 Capitão Sérgio Miranda de Carvalho
O brigadeiro Burnier



































Em 1969, o capitão da Aeronáutica Sérgio Carvalho foi chamado a sala de seu superior, o brigadeiro Burnier. A ele foi pedido que executasse um plano macabro de colocar bombas no gasômetro às 18 horas, em plena hora do rush. O plano teria como objetivo causar a morte de 100 mil inocentes passantes na Avenida Brasil e colocar a culpa do ato nos comunistas para justificar a repressão, a tortura e a morte de opositores do regime militar. 

O capitão Sérgio se recusou e disse que não estava nas forças armadas para matar brasileiros. Sabe o que ocorreu com ele ? Foi preso e expulso das forças armadas.  Logo após a ditadura, o capitão Sérgio se aliou a Brizola e começou a pregar Ditadura Nunca Mais. Anos depois, Sérgio foi indenizado pela justiça pelo que sofreu (prisão, expulsão da aeronáutica e ameaças de morte).

Se vc duvida que os militares fizessem isso, saiba que anos mais tarde, em 1981, eles quiseram explodir o Rio Centro para matar 10 mil pessoas que assistiam a um show de MPB. O plano só fracassou porque a bomba explodiu no colo dos militares escalados para o ato terrorista.

Um comentário:

Marcelo Paiva Paes de Oliveira disse...

Grande figura... estive com ele uma única vez, ficamos cerca de uma hora juntos, só nós dois. Foi na biblioteca da casa do Chico Buarque, quando o Chico ainda morava na gávea. Foi ótimo, ele contou-me tudo, e perguntou-me muito rsrsrsrs. Foi em 1988... a vida passa rápido, as memórias ficam para sempre. Você conhece a música para ele, gravada pelo Chico e Joyce?