Total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de março de 2017

O passado sempre vivo aqui no blog

O farol de Cabo Frio em 1935

Um comentário:

sergio disse...

Apenas para complementar a historia do Farol de Cabo Frio.
Parece que já existem visitas guiadas às ruinas do antigo Farol e ao novo.


Cabo Frio
23 00,81S / 42 00,05W (Ilha do Cabo Frio, Arraial do Cabo, RJ)
Lp.B.10seg.140m.49M (setor visível : 231° - 118°)
Estação de radiocomunicação

Os naufrágios da fragata brasileira "Dona Paula" em 1827 e da inglesa "Thetis" em 1830 moveram o corpo legislativo a decretar a construção de um farol na ilha do Cabo Frio, importante ponto de inflexão da linha costeira envolto por correntes geladas da Antártida.

Inaugurada em 17 de fevereiro de 1836, a torre de alvenaria de aproximadamente 5 metros foi equipada com um sistema catóptrico de luz fixa com 18 lâmpadas á óleo e refletores parabólicos. Uma lanterna com vidros encarnados importada da Inglaterra protegia o conjunto. A obra ficou a cargo do major Henrique Bellegarde.

Porém, logo após entrar em operação, constatou-se a pouca visibilidade do sinal. A causa do problema foi a escolha inadequada do local, o ponto mais alto da ilha (395 metros), frequentemente coberto por nevoeiro. Uma nova torre foi instalada mais abaixo, no Focinho do Cabo, a 128 metros de altura.

O novo farol, de ferro, foi montado pelo engenheiro inglês Thomas Dixon Lowden (que na ocasião também trabalhava no projeto da ferrovia Camocim - Sobral, no Ceará) e inaugurado em 7 de setembro de 1861. Foi equipado com outro aparelho catóptrico de eclipses que lhe dava 20 milhas de alcance, substituído pelo atual dióptrico BBT de 1ª ordem em 1893.

A energia elétrica que alimenta o farol e as casas dos faroleiros é gerada por motores à diesel. Com autorização da Marinha é possível desembarcar na ilha. As trilhas que levam aos 2 faróis exigem excelente preparo físico.