Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Medo e ódio injustificáveis





















Os números da violência caem no Rio e em São Paulo há pelo menos 10 anos, chegando a níveis de 1990 no caso dos homicídios. Mas as notícias sobre isso são sempre desprezadas ou relegadas a cantos de página.  

Vc deve achar então que o número de crimes de pedofilia é  absurdo, tanto se fala nesse assunto. O número é ridiculamente pequeno. Em 2012, foram 54 presos por este crime em todo país. Tem mais gente que morre por queda de côcos que crianças bolinadas por pedófilos, tão repugnantes sejam esses poucos casos.

Nenhum gay bate na sua porta pedindo pra que vc se torne gay. Nenhuma lésbica vai domingo de manhã no seu jardim pedir para que sua filha ou esposa tenham um caso com ela. Entretanto, são quase semanais as visitas de Testemunhas de Jeová e demais seitas nas portas de nossas casas tentando nos convencer que a fé deles é o único caminho para deus. Os mesmos pastores que traem suas esposas com aquelas fieis gostosinhas que estão no culto são os mesmos que tentam nos passar que os gays são ameaças às nossas famílias por defenderem seus direitos. 

Da mesma forma, tentam jogar na escola a culpa dos problemas morais que enxergam. Mas erram na avaliação. A TV dissemina o erotismo 24 horas por dia. A internet possibilita que qualquer criança veja com grande facilidade um site com os mais absurdos filmes pornôs. E a culpa da erotização precoce é jogada em cima de um livreto da escola que mostra que o garoto tem um pênis e a menina uma vagina ? Ora, me poupe !!!

Alguns programas que passam cenas de crimes todos os dias na TV dão a impressão que todos os crimes estão em alta e que a qualquer momento vc será uma vítima de um assassino e seu filho, de um pedófilo. Alguns políticos e políticos/pastores inescrupulosos amedrontam a população dizendo que estamos numa sociedade cada vez mais violenta, perdida em seus valores, e que gays e lésbicas tentam destruir nossas famílias, em um discurso similar ao que os nazistas fizeram contra os judeus e que terminou de forma tão trágica. 

Muitos acreditam sinceramente que vivemos nesse mundo medonho pregado por esses pilantras. E a resposta de parte da população amedrontada pelos sensacionalistas da TV e por políticos conservadores vem da forma mais vil e se manifesta defendendo a pena de morte, o linchamento de pobres e a perseguição às minorias. Pessoas aparentemente de bem se tornam, por causa do medo, defensoras de politicos e pastores racistas, misógenos e homofóbicos. 

Ouso dizer que nosso mundo e nosso país estão cada vez melhores. Ou menos piores, como vc preferir. Nunca tivemos tantas prisões e cassações de políticos e empresários na história deste país, mas as vozes sombrias da reação dizem que estamos em um mar de impunidade. Nunca se roubou tão pouco dinheiro público no Brasil. Não porque os políticos sejam mais honestos, mas porque as formas de se descobrir a corrupção são cada vez mais afiadas e desenvolvidas. Qualquer um que saiba como funcionava a máquina pública no Brasil anos atrás sabe disso. Mas as mesmas aves agourentas tentam nos dizer o contrário, ou com intuito de se arvorarem como a solução, ou de defenderem regimes ditatoriais que, esses sim, matam nossos filhos, esfolam nossas famílias e destroem nossa liberdade. 

Não sou religioso. Não acho que toda a Bíblia seja a palavra de Deus. Mas tem uma passagem dela que acho profética e que gosto muito. A Bíblia nos diz que no mundo haverá uma clivagem entre os defensores do amor e os que viverão no choro e no ranger de dentes (ódio). Ou seja, uma clivagem entre os que defendem um mundo dominado pela solidariedade entre os seres humanos e por aqueles que provocam o choro e defendem o ódio. Em que grupo vc quer estar ? No primeiro mundo com certeza não haverá espaço para homofóbicos, racistas, misógenos e defensores da pena de morte.  

4 comentários:

Monica Goncalves disse...

Professor, excelente texto, concordo quase plenamente, mas tenho ressalvas.

Prof. Chicão disse...

Explane suas ressalvas

Gabriel De Biase disse...

Texto muito bom! Destaco a parte dos programas de Tv durante a tarde, os quais se vc expremer sai sangue. São absurdos e sem limites, pegando casos distintos dos lugares mais remotos do Brasil - um país continental - e não deixando claro para a população do que se trata e de onde se trata. Funcionando como um entretenimento por meio do sangue e da tragédia. Uma verdadeira lavagem cerebral.
Há de haver um limite pra isso, é preciso coibir este tipo de jornalismo na TV ABERTA IMEDIATAMENTE.

Alex Damaceno disse...

O anormal hoje em dia virou coisa comum. E, o que deveria ser comum, é demonizado. Sem contar a manipulação indiscriminada da informação pela mídia. Misturando tudo isso a hipocrisia do ser humano.....